6 curiosidades sobre a wall street, a rua mais famosa das finanças

Conheça mais sobre a Wall Street e entenda porque essa rua é conhecida mundialmente e já se tornou alvo de filmes, séries e até mesmo documentários.

wall street

Localizada na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, Wall Street é a rua mais famosa das finanças sob uma perspectiva mundial. Mesmo quem não entende nada sobre o mercado financeiro já ouviu falar em filmes e séries, visto que é um lugar bastante retratado na televisão e nos cinemas.

Por conta de tamanha popularidade, muitas pessoas passaram a se familiarizar com a nomenclatura própria das finanças e com os próprios investimentos, como previdência empresarial, mercado de ações e até mesmo títulos de dívida pública.

Esse movimento é extremamente benéfico para a população em geral, visto que mais gente consegue ter acesso ao mundo dos investimentos e trabalha melhor o seu dinheiro, conseguindo ter melhores rendimentos nas suas aplicações.

Devido ao grande alcance da Wall Street e de tantos anos sendo palco do mercado financeiro mais famoso do mundo, existem inúmeras curiosidades cercando a rua. Por isso, reunimos aqui seis delas para você aprender um pouco mais! Confira abaixo!

1. A origem do nome


Traduzindo literalmente, Wall Street se chama "Rua do Muro" em português. De início, o nome pode causar certa estranheza, mas a história por trás explica tudo.

Na primeira metade de 1600, Nova Iorque era tomada por holandeses. No ano de 1664, os ingleses invadiram a cidade e, após expulsarem os antigos ocupantes, construíram um muro ao redor do perímetro.

Anos depois, com a expansão de Nova Iorque, a rua lateral a esse muro passou a se chamar Wall Street. Muito tempo depois, comerciantes, bancos e a própria Bolsa de Valores acabaram se instalando no local, por ser bem localizado e atrair muitos visitantes.

2. Touro de Wall Street


Mesmo quem nunca visitou a rua em Nova Iorque já deve ter visto a imagem da enorme estátua de bronze em formato de touro que simboliza Wall Street. Pesando cerca de 3,5 toneladas, o touro se tornou um marco de um dos endereços mais famosos do mundo.

Conhecido como "Charging Bull", a principal curiosidade sobre ele é que o Touro de Wall Street não fica localizado na rua de mesmo nome. A estátua acabou sendo instalada nas redondezas, no Bowling Green, bem na divisa com a Broadway.

Mesmo não instalado em Wall Street, o touro acabou se tornando um símbolo da região que abriga o mercado financeiro, isso por conta da expressão "Bull Market".

Quando as ações estão em alta, é comum que os investidores façam uso dessa expressão que faz menção ao modo de ataque de um touro - sempre de baixo para cima.

3. Arquitetura da rua


É inevitável lembrar da Times Square quando se ouve falar de Nova Iorque, não é mesmo?

Repleta de outdoors, luzes, lojas, pessoas e muito barulho, o visual da Wall Street não tem nada a ver com esse símbolo nova-iorquino.

Na rua das finanças, o que mais chama atenção é a arquitetura dos prédios, visto que é muito diferente do que vem à nossa mente quando pensamos na Big Apple.

Completamente o oposto do estilo da Times Square, os prédios de Wall Street são datados dos séculos 18, 19 e 20.

Assim, com os seus prédios antigos e muito bem conservados, as fachadas de pedra encantam os olhares atentos que passam por ali. A suntuosidade das construções remetem diretamente à Era Dourada, período que ficou conhecido pelo boom econômico nos Estados Unidos.

4. Tamanho da rua


Quando pensamos em Wall Street, na estátua do touro e, claro, na grandiosidade do mercado financeiro de um dos maiores centros comerciais do mundo, logo imaginamos uma rua ampla, larga e cheia de gente, certo?

Apesar da fama, Wall Street, na verdade, não passa de uma rua de oito quarteirões de comprimento, entre a Broadway e a South Street, medindo pouco mais de um quilômetro.

5. Badalar do sino


Todas as manhãs, às 9:30h e todas as tardes, às 16h, no horário local, as negociações em Wall Street são iniciadas e finalizadas de acordo com o badalar do sino da New York Stock Exchange.

Inicialmente, o sino era um martelo, mas ao final do século XIX, ficou decidido que o som para marcar o início e o fim das negociações na bolsa seria o badalar de sinos.

6. Fechamento da bolsa


O período mais longo e recente de fechamento da bolsa de valores norte-americana e, consequentemente, da movimentação em Wall Street, ocorreu em 2001.

Durante quatro dias a bolsa ficou fechada em decorrência dos ataques às torres gêmeas. Desde o ano de 1914, quando ocorreu a Primeira Guerra Mundial, esse foi o maior período de fechamento da bolsa.

Como é possível observar, Wall Street é muito mais que apenas o centro do mercado financeiro de Nova Iorque. Repleta de histórias e significados, a rua se tornou um símbolo importante para aqueles que trabalham com o mercado financeiro.
Postagem Anterior Próxima Postagem