Como funciona um consórcio imobiliário?

Comprar a casa própria é o seu sonho também? Essa é uma idealização comum de muitos brasileiros, porém, nem sempre é simples de se conquistar. Pensando neste cenário, existe um processo facilitador que te deixa mais perto de alcançar a sua meta: o consórcio imobiliário.

Esse tipo de financiamento inteligente e sem burocracia requer apenas que um grupo de pessoas se unam para financiar um imóvel a partir de pagamentos mensais para uma administradora.

O resultado disso é que, até o final de cada mês, um desses participantes é contemplado a ganhar a quantia necessária já acumulada para realizar a compra que tanto almeja.

As principais vantagens é que esse investimento não compromete a sua renda por ser uma contribuição a longo prazo e isenta de juros e impostos e ainda te possibilita de estar mais perto de uma grande realização! Se você planeja o futuro com a sua casa própria, continue lendo para saber como conseguir.

O que precisa para executar um consórcio imobiliário?

O consórcio de imóveis precisa de um grupo de pessoas para existir. Essas, se unem em prol de um desejo em comum: a casa própria. Sendo assim, todos os envolvidos depositam mensalmente um valor predeterminado por um período de tempo, que, ao final de cada prazo, poderá beneficiar um dos consorciados.

Quem ficará responsável pelos recebimentos dos pagamentos é uma administradora, que deve ser autorizada pelo Banco Central do Brasil para a realização de consórcios.

Não há juros ou impostos. Nesse método de aquisição de imóveis, apenas é pago uma taxa de administração, considerada mais baixa em relação a outras modalidades.

Como é administrado o dinheiro?

Aqui você já sabe que não há nenhum juro para lidar. Mas é preciso estar a par do caminho que o dinheiro leva e como é administrado.

Podem existir alguns percentuais junto as parcelas. A vantagem é que estes são bem menores do que juros de financiamento, por exemplo. Eles são divididos da seguinte maneira:

  • Seguro: encargo que protege consorciados de imprevistos. São eles: seguro de vida, onde há pagamento em caso de falecimento; seguro desemprego, caso fique desempregado e seguro de quebra de garantia para quando há falta de pagamento de parcelas depois de conter o imóvel. Neste caso, comumente é definido um valor fixo acrescido das parcelas, mas fica a depender das condições acordadas junto a seguradora;
  • Fundo de reserva: essa garantia evita que o grupo seja prejudicado caso haja inadimplência de um dos participantes. O valor é acordado dependendo de cada plano.
  • Taxa de administração: necessária para arcar com custos operacionais e gerenciamento do grupo.
  • Fundo comum: essa é a poupança para onde vai todo o valor das parcelas pagas pelos participantes. Ela é definida mediante uma porcentagem sobre o valor do crédito contratado.

Com o fundo comum arrecadado, a administradora utiliza dele para contemplar os participantes com as cartas de crédito seguindo os critérios dos sorteios e oferta de lances.

O que é a carta de crédito do consórcio imobiliário?

A carta de crédito diz respeito ao valor do plano escolhido na hora da contratação do consórcio que o participante pode ganhar em um determinado mês, a partir de sorteio, durante as assembleias ordinárias realizadas pela administração. Eles escolhem se será realizado online ou pela Loteria Federal.

Ao ser contemplado, o sorteado pode escolher o que fazer com o dinheiro, desde que dentro da categoria contratada. Quem arrecada a quantia, portanto, é quem vende o imóvel escolhido. Caso opte por não realizar nenhuma compra, o consorciado tem a opção de ficar com o valor. Também há como ganhar pela modalidade de oferta de lances.

Como funciona a oferta de lances do consórcio imobiliário?

Na prática, é uma espécie de leilão em que os participantes podem oferecer um determinado valor ao qual corresponde ao adiamento das parcelas do consórcio. Quem tiver a maior proposta é recompensado e tem acesso a carta de crédito antecipadamente.

Existem dois tipos de lances:

  • Lance fixo: existe um valor fixo predeterminado que geralmente é feito em percentuais sobre o fundo total da carta de crédito. Para ganhar, o consorciado só poderá oferecer esse preço.
  • Lance livre: atendendo as regras definidas pela administração, aqui, o participante pode escolher o valor do seu lance.

O que eu preciso para entrar em um grupo de consórcio imobiliário?

Aqui é a primeira parte do processo, mas também é bem simples! Para entrar em um consórcio é preciso buscar uma empresa especializada em consórcios imobiliários. Somente ela pode te deixar a par de toda a situação e o trâmite necessário para escolher o que deseja.

Quanto a documentação, o consórcio não exige análise de crédito ou renda, pensando, justamente, em oferecer o serviço a todos que necessitam. Entretanto, após a contemplação, a fim de manter a organização e segurança financeira dos envolvidos, algumas exigências são pedidas para liberação do crédito. São elas:

  • Documentos pessoais (RG ou CNH), CPF (ou CNPJ);
  • Comprovante de renda;
  • Comprovante atualizado de residência;
  • Documentação do imóvel;

Isso também é necessário para que a administradora possa confiar que o consorciado poderá arcar com as parcelas restantes.

Por que optar pelo consórcio?

Resumidamente, as empresas de consórcio imobiliário têm como objetivo ajudar você a conseguir realizar um projeto ou conquistar o seu sonho de forma mais planejada. É um plano que o participante sabe que irá conseguir executar. O necessário aqui é paciência e organização.

Se você tem, ou acredita ser capaz de conseguir obter essas duas principais qualidades, não espere para conversar com a STS Corretora de Seguros de Santos. Somos uma empresa especialista em consórcios imobiliários pronta para te atender!

Se você quer saber detalhadamente seus valores e o que precisa investir, entre em contato com a nossa equipe e faça uma simulação rápida e prática para escolher a melhor oferta para você realizar o seu sonho.

Como funciona um consórcio imobiliário