O que um detetive particular pode revelar de uma pessoa

O serviço de detetive particular é contratado para elucidar problemas e desvendar mistérios. Se você deseja realizar a contratação de um investigador, é muito importante antes estar ciente de quais são as áreas de atuação do profissional e o que um detetive pode fazer ou não em sua esfera profissional.

O que um detetive particular pode revelar de uma pessoa

Em geral, detetives são convocados para resolverem problemas de ordem pessoal e íntima. Mas esse tipo de profissional também é frequentemente contratado para investigar casos que envolvam empresas ou até mesmo grupos políticos. O detetive particular é útil em casos de:

  • Investigação de romances extraconjugais;
  • Localização de pessoas desaparecidas;
  • Monitoramento de crianças, adolescentes ou idosos;
  • Investigação empresarial (fraude, espionagem, sabotagem etc.);
  • Crimes em geral (como sequestro, estupro, dentre outros).

Embora muito útil, o detetive não é um super-herói, tampouco tem competências legais que são restritas a profissionais da Segurança Pública. Conheça, neste artigo, o que um investigador particular pode fazer para te ajudar.

Porte de arma


A relação do detetive particular com o porte de arma é igual a de qualquer outro civil. As exigências legais vigentes pela Constituição para que qualquer pessoa possua sua própria arma de fogo também valem para o detetive. Ou seja, mesmo que ele possua armamento, não poderá utilizá-lo como se fosse um policial.

Relação do detetive com a polícia


O detetive pode e deve trabalhar em parceria com a Polícia Civil, principalmente se estiver investigando algum caso em que haja suspeita de atividade ilícita. No entanto, a participação da atividade do detetive em uma operação policial precisa ser autorizada pelo delegado responsável pelo caso.

Um detetive, aliás, pode ser um policial civil, de fato. Mas em casos em que ele não seja membro da corporação, o investigador não pode dar voz de prisão, mas pode acompanhar a polícia e até mesmo colaborar na preparação do flagrante.

Sigilo


Como muitas vezes cuida de casos extremamente confidenciais, o detetive particular não tem autorização legal para dar declarações públicas à imprensa sobre detalhes dos casos em que atua. O profissional pode sim, conversar com jornalistas sobre seu trabalho, mas jamais comprometer ou entregar informações confidenciais de seus clientes.

Como o trabalho do detetive é pautado pela discrição, é essencial que ele haja sempre com cautela e evite ser percebido nos lugares: roupas chamativas, penteados extravagantes e frequentar muitas vezes o mesmo lugar são atitudes que não convêm a um bom detetive.

Ademais, é muito importante que o profissional saiba se portar na hora de representar um personagem ficcional para conversar com pessoas e levantar informações. Se apresentar como um detetive em qualquer situação durante a investigação também pode comprometer todo o trabalho que ele venha desenvolvendo.

A coleta de provas pode e deve ser feita pelo detetive através do uso de equipamentos, como câmeras, escutas, drones e rastreadores. São fotos, áudios e vídeos que conseguem, muitas vezes, dar fim a casos.

As provas coletadas pelos investigadores podem ser utilizadas por seus clientes com total representação legal em processos judiciais. Portanto, é totalmente seguro buscar a ajuda de um detetive particular para resolver algum problema de ordem pessoal que necessita de sigilo e discrição.
Postagem Anterior Próxima Postagem