Teoria X e Y, de Douglas McGregor

Tire as suas dúvidas sobre a Teoria X e Y, de Douglas McGregor

Desenvolvidas no final da década de 50, a Teoria X e Y são conhecidas como duas das teorias mais proeminentes da história da administração. Conheça tudo sobre elas agora! Aproveite!      

Alguns instrumentos permitem identificar as personalidades e características dos colaboradores de um negócio e, o conhecimento das Teorias X e Y pelas organizações, é um instrumento que pode ajudar na aprimoração de um RH estratégico cada vez melhor, mais inclusivo e inteligente.

Afinal, para motivar o trabalhador e extrair o melhor de cada equipe, é preciso entender como funciona a influência do gestor em seus profissionais subordinados e quais outros fatores estão diretamente ligados ao desempenho de cada indivíduo.

Saiba de que maneira essas duas teorias podem te ajudar nisso e conheça também mais sobre o seu criador. Boa leitura!

Conheça Douglas McGregor

Douglas McGregor nasceu em 1906 na cidade de Detroit e foi um psicólogo social, professor e economista de grande reconhecimento nas áreas de gestão e administração industrial, sendo que também teve influência em outras áreas da psicologia.

Recebeu o seu doutorado em Psicologia Experimental através da universidade de Harvard em 1935, mas foi a experiência de constituir família jovem e ter que largar os estudos para trabalhar, que ajudou McGregor a conhecer e vivenciar vários conceitos de gestão e trabalho em equipe.

Por um período foi gerente das estações de gasolina de Detroit e essa experiência permitiu que começasse a observar as relações industriais dos colaboradores dentro da empresa.Depois disso retomou os estudos e também lecionou no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Enquanto dava aulas nessa instituição também ajudou a fundar o seu departamento de relações industriais, departamento do qual também foi diretor. E além de professor e diretor, atuava como consultor de assuntos industriais.

Anos mais tarde foi diretor de relações industriais e consultor de recursos humanos de uma grande Companhia em Cambridge, a Dewey Almy.

Criou a sua própria escola de administração industrial e foi consultor para outras dezenas de empresas. Sua experiência prática combinada com seu conhecimento teórico contribuíram para torná-lo uma excelência no ramo da gestão industrial.

Seu sucesso culminou a partir da criação de duas teorias sobre motivação no trabalho, conhecidas como Teoria X e Teoria Y.

Essas teorias foram identificadas no livro “Aspectos Humanos da Empresa”, que foi escrito para explicar a influência de uma pessoa sobre outra na sua jornada de trabalho e é até hoje a principal obra da carreira de Douglas MCGregor.

A Teoria X e Teoria Y possuem dois conceitos antagônicos e que serão explicados a seguir. Confira:

Teoria X

Esta teoria denominada como “A hipótese da mediocridade das massas” se desenvolve a partir da premissa de que o trabalho é, em suma, desagradável.

E de que os trabalhadores descritos por ela necessitam que a gestão possua um sistema de artifícios que abranja desde punição, elogios, dinheiro, disciplina, estrito controle ou até mesmo coação para estimular o trabalho e a produtividade.

Douglas McGregor salienta que para estas pessoas o trabalho é apenas um “mal necessário” para sobreviver e por isso existe a necessidade de uma supervisão direta que saiba usar esses artifícios a fim de que seus trabalhadores alcancem resultados.

O objetivo de quem segue essa teoria precisa ser o de criar procedimentos, práticas e processos de trabalho que se baseiam em negociação, argumentação e intermediação.

Teoria Y

Na Teoria Y, para os trabalhadores “o trabalho é tão natural quanto o lazer, se as condições forem favoráveis”, ou seja, as pessoas descritas aqui encaram o trabalho como uma coisa boa, e são vistas como responsáveis, competentes e criativas.

Dessa maneira a organização precisa proporcionar um espaço que estimule o desenvolvimento destes funcionários. Essa motivação é criada através de um sistema de desafios e mais participações nos processos de decisão da empresa.

O objetivo de quem segue essa teoria é o de criar condições favoráveis para que esses trabalhadores realizem livremente a sua função e produzam da melhor forma possível.

As características dos profissionais de acordo com cada teoria

É ideal saber de que maneira os indivíduos se comportam de acordo com cada teoria:

Correr riscos não é algo que agrada os profissionais cuja personalidade condiz com a Teoria X. Essas pessoas também não são ambiciosas, preferem não assumir responsabilidades e funcionam muito melhor sendo comandadas.

Apesar de uma teoria se opor a outra, a Teoria Y não diz que o indivíduo pertencente a ela gosta de assumir responsabilidades. Mas sim que ele é capaz de ter uma postura de autocontrole fazendo dele um funcionário mais proativo.

Qual teoria utilizar na sua empresa?

Como você deve ter observado, a Teoria X mostra se encaixar melhor em ambientes tradicionais e aparenta funcionar bem mediante sistemas burocráticos. Já a Teoria Y, indica corresponder ao objetivo de empresas inovadoras e dinâmicas.

Ambas as teorias oferecem informações aos gestores e profissionais de recursos humanos para que consigam lidar com os desafios de aproximar genuinamente cada funcionário da função que ele realiza.

Mediante as tendências de valorização do capital humano por suas organizações, é possível afirmar que a Teoria Y se alinha muito mais a essa postura, que incentiva sempre melhores resultados e desempenhos superiores.

No entanto, as pessoas são diferentes. Suas crenças, seus valores, seus ideais e seus comportamentos são diferentes.

Mas é possível analisar as pessoas que pertencem a Teoria X e as que pertencem a Teoria Y e com o planejamento adequado, é possível motivá-las igualmente para que consigam obter os resultados esperados.

Todo processo de gerenciamento se fundamente em alguma teoria, seja de forma consciente ou não, isso porque nenhum comportamento humano é fruto do acaso. Afinal, tudo que acontece, precisa de uma motivação para acontecer.