Dicas para facilitar a gestão de fontes de receitas de clínicas médicas

Empreender não é uma tarefa fácil, sobretudo na área da saúde. Há normas, leis e condutas éticas diferentes de tudo que as empresas em outros segmentos devem seguir. Afinal, clínicas e consultórios médicos devem cuidar de seus pacientes da melhor maneira possível.

O fato é que a cada ano que passa, a concorrência nesse segmento aumenta, tornando o empreendedorismo ainda mais complexo e desafiador. É preciso se diferenciar nesse meio para chamar a atenção e reter clientes.

Somente assim, a clínica conseguirá aumentar o número de pacientes, otimizar o seu tempo, melhorar o atendimento e, por fim, atingir o máximo objetivo: torná-la mais conhecida no mercado.

Gerando, então, mais faturamento e lucratividade. Esse é o desejo de todo empreendedor, não há como negar. No entanto, muitos não sabem o que estão fazendo de errado ou até mesmo por onde começar. 

A pergunta que não quer calar, portanto, é: como se diferenciar no mercado e conseguir mais sucesso? Essa é a dúvida mais frequente quando este é o tema e, infelizmente, não há uma resposta tão simples.

O principal fator que levará uma clínica ao sucesso é a gestão médica. Dizemos que não é simples, porque essa gestão envolve a organização de finanças, agenda, criar meios para proporcionar boa experiência aos pacientes e aumentar a produtividade de cada.

Além de organizar receitas, cuidar da rentabilidade do negócio e muito mais. Não é fácil, isso é verdade. Dar conta de tudo isso nunca foi uma tarefa fácil, porém, ela é muito recompensadora.

Com a pandemia, todo esse cenário se tornou ainda mais desafiador. Por outro lado, o momento também proporcionou um avanço tecnológico sem precedentes. Os sistemas de gestão médica, por exemplo, se popularizaram e hoje, ajudam milhares de clínicas a chegarem ao sucesso.

Isso porque esses sistemas otimizam todos esses processos citados, tornando a gestão mais simples, organizada e produtiva. Eles conseguem tornar fácil uma das tarefas que os empreendedores mais têm dificuldade, a gestão de fontes de receita.

Até porque uma clínica e consultório médico podem ter várias fontes de receitas, as quais entram no caixa da empresa em dias diferentes, algumas temporárias, outras fixas, entre outras questões que tornam a atividade um pouco mais complexa.

Se você é um empreendedor e se identifica com essa dificuldade, continue lendo este texto, abordaremos como os sistemas podem ajudá-lo(a) nessa situação e outras dicas importantes.

Caso apenas esteja curioso(a) sobre o tema, este conteúdo também contribuirá para o seu entendimento sobre um dos principais desafios dessa área e possíveis soluções para ajudar clínicas e consultórios a lucrarem mais.

Acompanhe!

Gestão médica das fontes de receitas: como fazer? Qual a importância de dar atenção a essa tarefa?

Antes de saber como gerenciar as fontes de receita de uma empresa, de qualquer segmento, é preciso compreender o que esse termo significa. Isto é, o que são e quais são as fontes de receita da sua clínica? 

Basicamente, esse termo engloba todo o dinheiro que a empresa gera em cima de cada segmento de consumidores previamente definido. Ou seja, cada perfil de clientes que a clínica tem.

Dessa forma, poderá definir quais serão as fontes de receita para cada um desses grupos de consumidores. Então, a clínica atende pessoas físicas por consultas particulares, porém, também recebe pacientes de planos empresariais, clientes, idosos, entre outros perfis.

É fundamental entender que cada fonte terá seus mecanismos de precificação e seus ciclos de vida. Alguns serão pagamentos únicos, outros recorrentes, por exemplo. 

Basicamente, as fontes de receitas são o que define como seu negócio vai obter renda para continuar funcionando. Agora, vamos à questão central: como gerenciar os diferentes tipos de fontes de receitas?

O primeiro passo é levantar todas as informações relacionadas que julgar necessárias, como relatórios financeiros dos últimos meses da clínica médica, valores, dias de recebimento, entre outros.

O importante é avaliar quanto dinheiro entrou, quanto sai, de onde está entrando o dinheiro e muito mais. É muito importante, inclusive, identificar se a receita vem crescendo ou diminuindo, e também buscar os motivos para isso.

A dica principal é saber organizar todas essas informações importantes, de modo que seja fácil visualizá-las e analisá-las durante o dia a dia. Assim, a clínica terá como programar novos investimentos, modelos de expansão, melhorias de funcionamento e implementação de novos processos.

Ou seja, investir na clínica para que ela continue crescendo, agradando e fidelizando os pacientes. A dica de ouro deste segmento é:

Contrate um software de gestão médica

O mais recomendado é que as clínicas tenham um sistema médico de gestão para conseguir organizar dados, acessá-los com facilidade e analisá-los rapidamente. Esses softwares são práticos, rápidos e seguros.

Eles otimizam e melhoram o desenvolvimento das atividades internas, como a gestão de fontes de receita. Vale a pena estudar sobre essa opção e adotá-la na sua clínica ou consultório para entender sobre suas fontes de dinheiro e traçar um plano de ação para melhorá-las.

Use a tecnologia a favor do empreendimento e não terá erro, o sucesso  é certo!

Dicas para facilitar a gestão de fontes de receitas de clínicas médicas