Cirurgias para correção de fissura labiopalatina podem ser recorrentes

O tratamento do paciente com fenda labiopalatina vai muito além da cirurgia de correção do palato e do lábio, pois também envolve a atenção multidisciplinar de áreas como a fonoaudiologia, psicologia, odontologia, entre outras.  No entanto, um dos momentos mais esperados pelas famílias, é a correção da fissura, pois essa intervenção médica representa o início da reabilitação física e da integração social do paciente.

Apesar da palatoplastia ser o passo inicial para uma nova vida, é importante que a família entenda que as cirurgias para correção das fissuras labiopalatinas podem ser necessárias  em mais de uma vez, sobretudo em caso de ocorrência de fístulas oronasais, prevalentes em até 60% dos casos.

A abertura de fístula, um pequeno buraco no local operado, pode fazer com que outras cirurgias de palato sejam necessárias.  Trata-se de uma sequela pós-cirúrgica que ocorre por uma falha na cicatrização provocada por uma infecção, ou por um hematoma entre as camadas mucosas oral e nasal.  A ocorrência da fístula também pode estar relacionada com uma  tensão excessiva no local operado.

A experiência do cirurgião, a técnica empregada durante o procedimento e o tipo e extensão da fissura labiopalatina também interferem na probabilidade do surgimento da fístula.

A cirurgia no palato para fechamento da fístula pode ser repetida em 12 meses, pois nesse prazo diminui-se a chance de operação em tecidos com fibroses, em tecido cicatricial, o que atrapalha não só o resultado da operação como um todo, mas o próprio procedimento em si. Além disso, nesse prazo, nunca antes, o tecido adquire força novamente para “aguentar” uma nova sutura.

Dependendo do cirurgião, das técnicas empregadas e do próprio paciente, podem ser necessárias até mesmo mais de 3 cirurgias.

Como é feita a palatoplastia?

Para realizar a  palatoplastia, o paciente é submetido a uma anestesia geral. Em alguns casos, dependendo da gravidade, o procedimento pode levar até 4 horas.

A primeira cirurgia pode ser realizada quando o paciente tem 12 meses de vida e pelo menos 10 quilos. 
Com a palatoplastia, o paciente amplia a  possibilidade de desenvolver a fala sem maiores complicações e também tem seu desenvolvimento craniofacial mais próximo da normalidade.

A abertura de fístulas é comum?

A abertura de fístulas é relativamente comum após a cirurgia de palatoplastia, sobretudo quando realizada em áreas em que os tecidos possuem maior tensão, como a área de transição do palato duro e palato mole.

Para reduzir a chances de precisar de uma nova cirurgia, é importante seguir à risca as recomendações médicas durante o período pós-operatório da palatoplastia.
Uma dieta adequada, bons hábitos de vida e a escolha de bons profissionais também beneficia os pacientes.

fissura labiopalatina