Por que entender sobre finanças pessoais é tão importante?

Muita gente não dá a devida atenção sobre a importância de aprender sobre finanças pessoais para poder ter uma vida mais tranquila.

Afinal, grande parte dos problemas que enfrentamos na vida normalmente são originados pela falta de dinheiro. Inclusive, essa é uma das principais causas que tira a produtividade e motivação de muitos profissionais.

Por que é importante saber sobre finanças pessoais?

Entender de finanças pessoais é importante para que você tenha mais organização sobre o seu orçamento, podendo inclusive iniciar investimentos com foco no futuro.

Hoje em dia, a educação financeira ganhou mais notoriedade, principalmente depois da chegada da pandemia de Covid-19 que pegou muita gente desprevenida. O resultado é que muitas pessoas ficaram sem dinheiro para pagar as suas contas.

Foi então que muitos brasileiros passaram a se interessar mais pelo tema. E o conhecimento é o primeiro passo que alguém precisa dar para começar a ter mais tranquilidade financeira.

Quais os fundamentos das finanças pessoais?

Existem diversos métodos que são ensinados por especialistas para que você comece a administrar bem o seu orçamento. O mais conhecido deles é o método 50-30-20.

Nesse método, você tem que organizar as suas contas para que 50% do valor que você ganha seja destinado para custo fixo como aluguel, força, água, prestação do carro, supermercado etc.

Sendo assim, se você tem uma renda de R$ 5 mil, os seus gastos fixos não podem ultrapassar os R$ 2.500. Caso isso aconteça, é preciso ver onde você pode realizar cortes.

Os outros 30% são destinados para gastos variáveis com lazer, itens de vestuário, alimentação fora de domicílio, dentre outros. Note que você não pode deixar de ter lazer na sua vida. Por isso, uma parte do seu orçamento será direcionada para isso.

Entretanto, você não pode gastar mais do que pode com lazer. Então, nesse exemplo que demos, você poderá gastar R$ 1.500 se divertindo durante o mês.

Por fim, os últimos 20% deverão ser destinados para uma aplicação, de preferência renda fixa e com resgate automático, até que você tenha o valor igual a 6 meses do seu custo fixo.

Por que guardar o valor de 6 meses do custo em uma renda fixa?

Guardar um valor igual a 6 meses do seu custo fixo é uma garantia para você ter mais liberdade de escolha na sua profissão. Ou seja, se você quiser mudar de profissão, de cidade ou de país, terá uma segurança para se sustentar por um tempo.

Esse valor é conhecido como reserva de emergência, sendo ele um dos conceitos básicos das finanças pessoais. Ele é o primeiro investimento que toda pessoa precisa ter antes de pensar em outras conquistas.

A reserva de emergência precisa estar em um ativo seguro de alta liquidez justamente pelo fato de uma emergência não ter hora para acontecer. Sendo assim, esse é um dinheiro que você pode usá-lo a qualquer momento.

Entretanto, o fato de poder usá-lo não quer dizer que você possa gastá-lo, uma vez que o seu uso só pode se dar em uma emergência como uma oficina mecânica, um gasto médico ou diante de uma mudança de emprego.

Lembrando, que o valor que for usado precisa posteriormente ser devolvido para a sua reserva para que você não venha a ter problemas futuros.

O que fazer quando se tem dívidas atrasadas?

Quem vem com dívidas em atraso, o primeiro passo a dar é organizar o orçamento baseado no método 50-30-20. Feito isso, é preciso levantar quanto é o valor de 20% do seu orçamento.

Considerando que você ganhe R$ 5 mil, 20% do seu orçamento será R$ 1 mil. Esse será o valor que você usará para pagar as suas dívidas. Se elas forem muito altas, o ideal é conversar com os credores e sugerir o parcelamento.

Caso você deva para muitas pessoas, algumas você terá que deixar de pagar no curto prazo, e outras você pagará com 20% do seu orçamento, lembrando que a prioridade deve ser as dívidas com juros mais elevados.

Uma vez que você quitar as dívidas, os mesmos 20% do orçamento deverão ser usados para começar a construir a sua reserva de emergência que deve ser igual a seis meses do seu custo de vida, conforme dissemos.

E depois de construir a reserva de emergência?

Quando você estiver com o orçamento organizado, sem dívidas e com uma reserva de emergência construída, é nesse momento que você começará a definir objetivos maiores.

Você então poderá deixar de aplicar dinheiro apenas em renda fixa e começará a buscar alternativas mais rentáveis como ações de empresa, fundos de investimentos, ETF´s, etc. Aqui você deverá buscar ainda mais conhecimento no campo das finanças pessoais.

Note que a partir de então, você deixará de ser um aluno básico para se aprofundar em outros temas como investimentos, análise de ações, bolsa de valores, buscando obter a máxima rentabilidade do dinheiro que você continuará guardando todo mês.

Vale destacar que você pode ter sonhos de longo prazo como comprar um carro ou uma casa, e para isso você terá que investir em ativos mais rentáveis que possibilitem você alcançar esses sonhos mais rapidamente.

Entretanto, é preciso ter em mente que quanto mais ativos você possuir, mais livre você se tornará, pois esses ativos renderão juros para você e darão mais tranquilidade no final da sua vida.

Conclusão

Conclui-se com esse artigo que aprender mais sobre finanças pessoais é ter mais liberdade para se fazer aquilo que realmente você quer.

Por exemplo, se você não tem conhecimento de finanças pessoais, estará sempre com o seu orçamento apertado, com os juros de empréstimos corroendo parte do seu orçamento, e muitas vezes preso em um emprego que não gosta.

Até porque, qualquer mudança que você almejar será descartada pelo fato de você não ter uma segurança para poder se aventurar em uma nova profissão, ou até mesmo um novo país.

Por outro lado, se você passa a ter mais conhecimento sobre finanças pessoais, você organiza o seu orçamento, constrói a sua reserva de emergência e começa a investir em outros ativos mais rentáveis.

Como consequência, você terá mais liberdade financeira para trabalhar naquilo que deseja, terá mais renda durante sua aposentadoria e tudo isso sem deixar de lado o lazer na sua vida.

Até porque, conforme vimos, o método 50-30-20 reserva uma parte do seu orçamento para lazer, fazendo com que você não deixe de curtir a sua vida para somente guardar dinheiro. É uma forma de unir o útil ao agradável.

finanças pessoais