Veganismo para crianças: entenda se este tipo de alimentação faz bem para elas

O veganismo é um movimento cujo objetivo é diminuir a exploração do animal, por isso cada dia mais tem pessoas que querem tentar começar esse novo hábito alimentar. Quando se trata de alimentos para aqueles que são veganos, eles não fazem o consumo de nenhum tipo de carne, leite ou derivados, mel, alguns corantes, gelatina e ovo, ou seja, se tem origem animal não faz parte do cardápio dos veganos. 

Porém, alguns pais veganos tentam introduzir esses hábitos na dieta das crianças, mas, aí fica a dúvida se isso faz bem ou mal para a saúde do pequeno, hoje vamos discutir se isso é ou não uma boa escolha para seu filho ou qualquer outra criança próxima a você.  

Muitas vezes aparecem diversas notícias dizendo que os pais podem levar os filhos a desnutrição ao incluir o veganismo na sua alimentação. Mas, vamos esquecer todos os estereótipos que existem em volta desse assunto e conversar livremente sobre esse assunto que é uma grande incógnita para muitas pessoas.  

Aqui veremos quais são as reais consequências sejam elas boas ou ruins na vida da criança, então fique ligado e tire todas as suas dúvidas a seguir com várias informações que vai passar por você sobre o tema. 

O veganismo é contra a lactação materna?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o veganismo não proíbe que o bebê se alimente do leite materno, assim como o bezerro se alimenta o leite da vaca a criança também vai se alimentar do leite de sua mãe. 

Caso não seja possível que o bebê se alimente do leite materno, ele não passará fome, pois existem fórmulas feitas a base de soja, também é possível fazer uso de fórmulas comuns, que podem ser produzidas através do leite da vaca, já que alguns pais veganos não veem problema nisso.

Porém, é importante que o bebê seja acompanhado de perto, isso é fundamental para os primeiros meses da criança, especialmente nesses casos, então procure levá-lo em profissionais qualificados como a Pediatria em Santo André

O veganismo tenta fazer a diminuição da exploração animal dentro do possível e praticável. Por exemplo, existem muito remédios e vacinas testados em animais e quanto nos remédios tanto em vacinas também pode ter em sua composição ingredientes de origem animal e como não existem outras alternativas para isso, as pessoas veganas não deixam de tomar os remédios receitados pelos médicos e muito menos deixam de tomar as vacinas essenciais ao longo da vida. 

Quais são as possíveis consequências do veganismo para crianças?

Nós podemos olhar o veganismo para criança em duas situações, a primeira é situação é quando a criança tem um cardápio bem elaborado, com uma alimentação bem mais saudável, além disso ela também corre bem menos riscos de desencadear doenças como, obesidade ou doenças crônicas. 

Com uma dieta à base de legumes, verduras, frutas e outros alimentos naturais, ela pode crescer normalmente como qualquer outra criança não adepta ao veganismo.

Por outro lado, se essa criança tiver uma alimentação mal planejada, pode fazer com que ela sofra com faltas de vitaminas, como, ferro, proteínas, vitamina B12, cálcio e vitamina D, porém isso também pode acontecer com uma criança que tenha uma dieta a base de carnes. 

Hoje em dia você já pode encontrar uma publicação com várias orientações feitas pela Sociedade Brasileira de Pediatria sobre o veganismo para as crianças e adolescentes, nesta cartilha você pode encontrar quais são os principais riscos e também as melhores substituições.

É possível encontrar também uma cartilha com alguns temas mais leves, que foi publicado pela  Sociedade Vegetariana Brasileira que serve para crianças de até dois anos, lá você também pode encontrar um modelo de cardápio para se inspirar. 

Nutrientes que devem ser acompanhados com atenção

Já que se trata de uma dieta vegana é possível que alguns nutrientes não sejam absorvidos pelo organismo. No entanto, a vitamina que é mais preciso prestar atenção é a B12, que só pode ser adquirida por meio de origem animal, há muito onívoros que provavelmente podem ter essa deficiência e não tenha a mínima noção disso, isso porque não existe um exame muito comum de ser realizado.

Na fase de crescimento é importante que a criança receba a quantidade adequada de ferro a partir dos seus seis meses de vida, estando ou não na dieta vegana. Visando diminuir os casos de anemia nas crianças, o Ministério da Saúde criou o  Programa Nacional de Suplementação de Ferro.

Agora com relação à vitamina D, a Sociedade Brasileira de Pediatria e também a Academia Americana de Pediatria recomendam o banho de sol regularmente em períodos em que o sol não seja prejudicial, especialmente em cidades como a  grande São Paulo, onde se expor ao sol é bem difícil.

Vale ressaltar que todas essas recomendações são para crianças que nasceram saudáveis, nos casos de bebês prematuros a orientações são bem diferentes e em ambos os casos a criança deve ser acompanhada por um médico com frequência. 

Ao final deste artigo, podemos concluir que o veganismo não faz mal nenhum às crianças se introduzido de maneira correta na sua alimentação. 

você pode gostar também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência, você pode optar por não participar, se desejar. AceitarLeia mais