Saúde bucal na terceira idade, entenda a importância de ter um acompanhamento

Com o passar dos anos, manter-se saudável e ativo se torna a principal preocupação de boa parcela da população. No entanto, de tempos em tempos, é comum que os cuidados com a saúde bucal na terceira idade sejam destacados devido às necessidades, mas também se tornam uma segunda prioridade, ainda que seja essencial para a manutenção do bem-estar.

Saúde bucal na terceira idade

Afinal, a cavidade bucal é a principal entrada para a energia e os nutrientes consumidos, mas também é a responsável pela introdução de bactérias e possíveis doenças que podem acometer todo o organismo.

Estudos apontam que doenças bucais podem estar diretamente relacionadas ao surgimento de enfermidades cardiovasculares, gastrointestinais e no espalhamento de microorganismos infecciosos para todo o corpo.

Por isso, preservar bons hábitos de cuidado com a saúde dental pode ser determinante para uma melhor qualidade de vida, possibilitando até a realização de procedimentos estéticos, como o clareamento dental, com mais segurança - o que pode impactar diretamente na saúde mental e bem-estar a longo prazo.
 

Importância do acompanhamento odontológico na terceira idade


Muitas pessoas acreditam que a perda dentária é inevitável com o passar dos anos.

Contudo, ainda que a saúde geral tenda a ficar mais fragilizada conforme envelhecemos, profissionais da área odontológica confirmam que se o cuidado com a higiene e a integridade física dental for mantida regradamente, os pacientes mais velhos podem manter os dentes naturais por tempo indefinido.

Para isso, é necessário permanecer atento às condições que são mais propensas a surgir com o passar dos anos, de modo a evitá-las e até identificá-las em seus primeiros sinais.
 

Doença periodontal


A periodontite é a evolução das inflamações gengivais que passam a atacar os ossos maxilares e os tecidos de sustentação dos dentes, causando dores e, em casos mais graves, a perda dentária.

Nestas circunstâncias, conforme for a intensidade da perda de massa óssea, o procedimento para a colocação do implante dentário é necessária, mas pode ser dificultada e o paciente deverá realizar um enxerto antes de prosseguir com o tratamento.

Além disso, a periodontia também pode ter resultados ainda mais prejudiciais.

Se os danos causados por essas bactérias não forem sanados a tempo, a infecção consegue atingir a corrente sanguínea e instalar-se em forma de placas bacterianas nas paredes dos vasos ligados ao coração.

A ocorrência de bactérias nas paredes cardíacas gera diversas doenças cardiovasculares e ainda pode se alastrar para outras partes do corpo.
 

Xerostomia


A sensação de boca seca – também conhecida como xerostomia – é um quadro bastante comum em pacientes mais idosos. Ele pode ser provocado por doenças sistêmicas, como a diabetes, ou pelo uso de alguns tipos de medicamentos.

Além do desconforto, a diminuição na produção salivar auxilia na multiplicação das bactérias responsáveis pelo surgimento de cáries e placas bacterianas. Essas doenças são as principais motivadoras da perda de dentes entre adultos e idosos.
 

Gengivite


A inflamação gengival é uma versão mais moderada da periodontia, mas – se não tratada – pode evoluir e causar muitos problemas, principalmente para pacientes com mais de 40 anos.

Ela é, geralmente, o resultado do mau uso do fio dental e da escovação insuficiente. A higienização precária do aparelho invisivel e de dentaduras também podem acumular bactérias que irritam as gengivas e causam dor, inchaço e sangramento.
 

Sensibilidade


Com o passar dos anos, é possível que ocorra o desgaste dental ou a retração gengival, condições que aumentam a hipersensibilidade dos dentes.

Desconfortos em relação a comidas muito quentes ou muito frias também podem ser comuns nesses casos.

Por isso, o paciente deve procurar o auxílio odontológico para a averiguação da situação e resolução do problema.
 

Como garantir uma boa saúde bucal?


Desta forma, é importante notar como os maiores riscos relacionados à saúde bucal, e do organismo como um todo, está relacionado a presença das bactérias bucais.

Por esse motivo, a rotina de limpeza deve ser realizada com a frequência necessária e de forma apropriada - bem como com os produtos indicados.

A melhor forma de garantir uma boa saúde bucal é:

  • Escovar os dentes três vezes ao dia;
  • Usar diariamente o fio dental;
  • Enxaguar a boca com um antisséptico bucal recomendado;
  • Utilizar escovas com cerdas macias e tamanho adequado;
  • Realizar consultas de rotina a cada seis meses.

Essas visitas são importantes para a manutenção da limpeza profunda e a remoção de placas bacterianas, bem como para a realização de procedimentos de intervenção ou para sanar dúvidas quanto a tratamentos desejados, como sobre o valor de um implante dentário.
 

Tratamentos cosméticos para dentes e autoestima


A realização de procedimentos cosméticos, como o clareamento dental, tem crescido muito, inclusive entre a população mais velha.

Isso porque, além da manutenção de uma boca saudável, os pacientes estão interessados em apresentar dentes bonitos e um sorriso harmônico, corrigindo possíveis danos ocorridos ao longo da vida.

Esse tipo de tratamento pode melhorar a aparência geral do sorriso de forma segura e rápida, como ocorre com a colocação da lente de contato dental, além de apresentar opções pouco invasivas para a harmonização do sorriso.

No caso da lente, a colocação tende a demandar apenas três sessões para ser concluída, promovendo um sorriso mais alinhado e mais branco.

Além disso, os procedimentos estéticos auxiliam na manutenção da autoestima e confiança, sensações capazes de aprimorar os relacionamentos interpessoais e, até, a produtividade.

Com isso, muitos pacientes passam a perguntar sobre quanto custa um clareamento dental e se há viabilidade de realizá-lo.

Em relação ao valor desses procedimentos, cabe ressaltar que ele pode variar de acordo com a técnica e os materiais utilizados.

A escolha da técnica é baseada nas necessidades e condições de saúde de cada paciente, o que também varia ao se tratar de idosos, visto que doenças crônicas e preexistentes podem ser comuns.

Por isso, é necessário realizar uma consulta prévia com o seu dentista de confiança e avaliar a condição bucal, realizando os tratamentos necessários antes dos procedimentos estéticos.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e qualidade de vida.
Postagem Anterior Próxima Postagem