O Banco do Brasil é realmente confiável?

Está pensando em abrir conta no Banco do Brasil, mas não sabe se ele é confiável? Confira esse artigo!

Em épocas de constantes fraudes e exposição de dados sensíveis, é fundamental, antes de começar um relacionamento com uma empresa, pesquisar se ela é digna de depositar confiança. Quando a instituição em questão é um banco, é aí que os cuidados devem ser redobrados, haja vista que se trata de informações muito pessoais. Portanto, se você quer saber se o Banco do Brasil é realmente confiável, basta conferir esse artigo.

Seta do mouse em cima da palavra Security
Muitas pessoas se deixam levar pelo fato de o Banco do Brasil ser um dos principais bancos brasileiros. Porém, a realidade  é que isso não garante que se trata de uma instituição segura, e é sobre isso que falaremos esse artigo.

Há diversas opções de bancos nacionais, no entanto, antes de se afiliar a algum, é imprescindível que se faça uma pesquisa bem aprofundada acerca da instituição, haja vista que essa é a única maneira de lhe precaver de eventuais dores de cabeça. E dentro dessa análise, é importante saber se o Banco do Brasil é confiável, e é o que iremos fazer no post de hoje.

O Banco do Brasil

Para saber de forma mais embasada se o Banco do Brasil é mesmo confiável, pode ser interessante conhecer a história da instituição. Ao conhecer as bases de determinada empresa, torna-se mais fácil de concluir algumas questões. Por exemplo, se desde a sua fundação o banco denotou certa inconsistência, é possível que as bases da empresa não sejam tão sólidas. Mas, em contrapartida, se a mesma sempre demonstrou ser exímia no oferecimento dos seus produtos, pode-se depositar uma confiabilidade maior.

Quanto a esses pontos, o Banco do Brasil possui um histórico bastante interessante. Aos que não sabem, o primeiro BB foi fundado na época do império, lá em 1808, tornando-se o primeiro banco da história de Portugal e do Império Português. Na época, possuía cerca de 1.200 contos de réis de capital e, inclusive, era o quarto banco emissor do mundo e funcionava como uma espécie de banco central misto.

Bandeira de Portugal

Muitas pessoas não conhecem a história do Banco do Brasil e, portanto, não sabem que se trata de uma instituição que existe desde a época da monarquia. E, naquele contexto, a instituição funcionava como sendo um banco central misto.


Naquele antigo cenário, o Banco do Brasil imperial detinha monopólio de produtos como o pau-brasil, marfim, urzela e diamante, fazendo com que fosse uma instituição relativamente organizada e estabilizada. Porém, ele acabou falindo depois que a família real confiscou os fundos e voltou para Portugal. Ficando com capital desfalcado, acabou sendo liquidado em 1829.

Anos depois, em 1851, foi criado o segundo Banco do Brasil, que é o que se tem atualmente em solo nacional. Mas, dessa vez, a fundação foi um pouco mais sólida, visto que o capital era de dez mil contos de réis, um valor bastante significativo para época. Inclusive, a instituição acabou surgindo com a fusão do Banco do Brasil de Mauá com o Banco Comercial do Rio de Janeiro.

E algum tempo depois, em 1893, veio a se fundir com o Banco da República dos Estados Unidos, obtendo cada vez mais solidez, o que configurou na possibilidade de a organização financeira se manter de pé até os dias de hoje. Diante desse olhar em retrospecto, é possível notar que o primeiro BB acabou falindo, uma vez que suas estruturas não eram muito rijas. Já o segundo, por possuir melhores condições, frutificou até os dias atuais.

O que mais preciso saber sobre o Banco do Brasil?

Uma outra informação a respeito do Banco do Brasil que pode ser interessante para você construir o quanto a instituição é confiável é sobre a sua condição. Todo mundo sabe que o BB é considerado um dos principais bancos brasileiros, no entanto, uma grande maioria pensa que se trata de uma empresa estatal. Mas, ao analisar clinicamente as coisas, enxerga-se um detalhe que nem todos se atêm.

Dizer que o Banco do Brasil é uma estatal não é uma informação completamente errada, mas também não é uma informação completa. O que muitas pessoas não sabem é que o Governo Federal do Brasil só detém 50% das ações do BB. Ou seja, trata-se de uma sociedade de economia mista, onde há colaboração entre o Estado e empresas particulares, onde ambos reúnem recursos para a realização de uma finalidade.
Homem desenhando símbolo de porcentagem
 Muitos acreditam que, assim como a Caixa Econômica, o Banco do Brasil pertence ao Governo Federal. Porém isso não é verdade, haja vista que o Governo detém apenas metade das ações. Ou seja, trata-se de uma instituição com capital híbrido.
Essa é uma informação que agrada a gregos e troianos, uma vez que nem todas as pessoas gostam de ter relacionamento com uma estatal. Afinal de contas, os exemplos de empresas estatais não são lá muito boas. Uma outra informação digna de ser mencionada é que, até a criação do Banco Central do Brasil, o BB funcionava como o banco do governo, e isso significa dizer que o BB tem bastante familiaridade com o governo.

Além do mais no tocante ao sistema financeiro nacional, o Banco do Brasil também ganha destaque. E isso acontece porque o BB é o primeiro em ativos financeiros, detendo cerca R$1,572 trilhão. Ademais, o banco também se destaca quando o assunto é agronegócio, uma vez que financia grande parte das exportações. Diante dessas informações, é possível concluir que o Banco do Brasil é confiável, mas há outras considerações a serem feitas.

O Banco do Brasil é confiável?

O Banco Central do Brasil é uma autarquia federal, ou seja, uma espécie de “banco-mãe”, já que todas as instituições devem seguir os mandamentos e regulamentações impostos por esse órgão. Inclusive, todas as instituições financeiras devem fornecer relatórios para o BC e, diante do recolhimento desses dados, o Banco Central consegue formular alguns estudos que facilitam a nossa visão quanto aos bancos brasileiros.

E foi a partir desses dados que o BC divulgou os bancos com mais reclamações no quarto trimestre de 2019, e essa pesquisa é importante para formular se o Banco do Brasil é mesmo confiável. Esse ranking de reclamações foi formado a partir das demandas do público registradas em todos os canais de atendimento do órgão. O rendimento do BB nessa pesquisa foi relativamente bom.

Entre os principais bancos do Brasil, o Banco do Brasil ocupa o quarto lugar com um índice de reclamação de 27,66%. No entanto, ao analisar com uma visão um pouco mais clínica, percebe-se uma questão bem pertinente ao assunto. Dentre as reclamações mais frequente, a principal delas é sobre irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços disponibilizados em ATM.

Homem irritado falando ao telefone
Ano após ano é feito levantamento acerca da confiabilidade de cada banco ou mesmo sobre as reclamações mais pertinentes da instituição. E, no ano de 2019, foi feito uma pesquisa que é muito relevante para esse assunto.
No entanto, o Banco do Brasil ainda aparece em outros assuntos concernentes à falta confiabilidade em outros serviços, como no internet banking, operações de crédito etc. Um outro parâmetro para saber se o BB é confiável é o site do Reclame Aqui, visto que ele colhe informações dos próprios clientes da instituição. E qual a melhor maneira de saber se o banco é confiável do que através de relatos dos próprios correntistas?

A reputação do Banco do Brasil no site Reclame Aqui não é das melhores, tanto que a sua nota, obtido dos últimos 6 meses, é de apenas 6,5/10, sendo uma nota regular. No entanto, basta ler algumas das principais reclamações para perceber que o cunho de grande parte delas é sobre confiabilidade ou integridade. Tanto que muitos clientes querem cancelar a conta no Banco do Brasil em decorrência de tais problemas.

No entanto, o próprio Banco do Brasil já se pronunciou a respeito desse assunto, afirmando que todos os seus serviços e conta são completamente seguros e confiáveis. Mas, para que haja credibilidades nas falas, é preciso demonstrar com ações os motivos de a instituição se intitular como sendo confiável. Portanto, nos tópicos seguintes, iremos elencar alguns dos motivos que fazem com que o Banco do Brasil seja confiável.

Bloqueio do cartão

Fatalidades podem acontecer, desde você ser assaltado até a possibilidade de perder o seu cartão. Nesses casos, a grande maioria das pessoas ficam com medo de que terceiros utilizem indevidamente os seus dados, e esse é um medo bastante recorrente. Afinal de contas, pode demorar um tempo até comprovar de que não foi o titular do cartão que realizou tais compras e de que se trata de uma fraude.

No entanto, quanto a essa questão, clientes do Banco do Brasil podem ficam um tanto despreocupados, haja vista que a instituição possui algumas funcionalidades e ferramentas que podem evitar essas situações trágicas. A exemplo disso, pode-se citar o fato de poder bloquear o cartão BB por intermédio do internet banking na aba “cartões” e depois “bloqueio ou cancelamento”.

Banco online em um notebook
O internet banking é uma ótima opção para quando não se tem um celular disponível por exemplo. Tanto que o Banco do Brasil possibilita o bloqueio de cartão por intermédio do IB.
Também é possível bloquear o cartão entrando em contato com algum atendente através de um dos canais de atendimento, como pelo SAC. A vantagem disso é que ele está disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana. Para tal, é só discar para o número 0800 729 0722 e informar a pessoa que lhe atender a situação e solicitar o bloqueio do seu cartão magnético. Caso queira, também é possível fazer isso através de uma agência física.

Agora, se quiser realizar isso de uma maneira ainda mais simplificada, é possível bloquear o seu cartão do BB através de uma mensagem de texto, via SMS. Basta enviar BL + os quatros números finais do seu cartão para o número 4004 0001. No entanto, é bom destacar que esse bloqueio é temporário e, para efetivar o pedido, deve-se ligar para a Central de Atendimento ou SAC. No entanto, essa ação já evita que qualquer pessoa má intencionada utilize os seus dados.

Função contacless

Essa é uma função que quase todos os bancos já estão aderindo, e o principal motivo é justamente porque, além de garantir maior conforto, também gera mais confiança. No entanto, os mais desinformados podem achar que essa é uma funcionalidade extremamente insegura. Alguns argumentam que a função contacless facilita as compras indevidas, já que não é necessário informar nenhuma senha.

No entanto, em compras cujo valor é maior que R$50, é necessário sim informar a senha do cartão, mas existe um outro detalhe. Como relatado no tópico anterior, o Banco do Brasil possibilita a bloqueio temporário do cartão, e isso se estende para a função contacless. Isso quer dizer que, caso o seu cartão esteja bloqueado, ainda que uma pessoa má intencionada tente fazer compras, não irá conseguir.

Maquina de cartão com contacless A função de aproximação, ou “contacless” previne de muitos males que poderia ocorrer com sua conta ou seu cartão. O maior benefício é que diminui significativamente a possibilidade do cartão ser clonado.

O recomendado é que quando você não estiver usando o seu cartão, ele esteja bloqueado. Desbloqueie apenas quando for realmente utilizar. Ademais, também vale salientar que essa funcionalidade garante bastante segurança ao titular do cartão. Muita gente não sabe, mas há golpistas que utilizam as maquininhas de cartão para roubar os seus dados e utilizá-lo para fazer compras.

O golpe funciona da seguinte maneira: há maquininhas que, ao inserir o cartão, leem todos os dados, como a numeração, nome do titular, código de segurança e até a senha que será digitada. Esses dados ficam armazenados, e o dono da maquininha poderá ter acesso a esses dados. No entanto, com o cartão contacless, basta aproximar da maquininha que a transação é aprovada. Ou seja, como não irá inserir o cartão, impossibilita de que os dados sejam roubados.

Fundo garantidor de créditos

Essa é uma ótima forma de garantir que os clientes do Banco do Brasil fiquem seguros quanto ao seu dinheiro. Para quem não sabe, o Fundo Garantidor de Créditos, também chamado de FGC, é uma entidade privada, sem fins lucrativos, destinada a administrar mecanismos de proteção a correntistas, poupadores e investidores contra eventuais problemas que a instituição financeira pode ter.

Com isso queremos dizer que o seu dinheiro ficará assegurado, ou seja, se caso a empresa falir (assim como aconteceu na época do império), os clientes terão a certeza de receber o seu valor de volta, desde que não ultrapasse o valor de R$250 mil. Isso faz com que os correntistas não fiquem com medo de perder o seu dinheiro caso a instituição passe por alguma crise, já que o seu dinheiro estará segurado.

Notas de dinheiro real espalhadas sobre uma mesa
Sabendo que o Banco do Brasil possui FGC, os correntistas e investidores podem fiacar mais sossegado, pois terão a certeza de que o seu dinheiro está respaldado e que, em qualquer eventualidade, se terá a certeza do recebimento do valor em conta ou investido – desde que não extrapole o limite informado.
Algumas pessoas pensam erroneamente que o FGC só protege os investidores da instituição, mas isso é uma falácia. Segundo o próprio Banco do Brasil, tanto pessoas que possuem conta corrente ou conta poupança são ressarcidos pelo fundo garantidor de créditos. Isso dá aos clientes uma segurança e confiabilidade de que todos os recursos serão protegidos mesmo em eventos extremos, como falência, intervenção ou liquidação de uma instituição financeira.

Porém, é bom fixar que você receberá o valor de volta, mas o valor é limitado a R$250 mil por CPF ou CNPJ. Caso o saldo que você tenha ultrapasse esse valor, você não receberá a mais. Saldos em depósitos em dinheiro em conta corrente, aplicação em caderneta de poupança ou investimentos em depósitos a prazo (RDB/CDB), letras de câmbio, letras hipotecárias, LCA e LCI, dentre outros, são respaldados pelo FGC.

Autorização de aparelho

Pode acontecer de alguma pessoa má intencionada tente utilizar a sua conta através de um outro aparelho celular. Porém, o Banco do Brasil possui um sistema que dificulta esse procedimento, que é a autorização de aparelho. Não é tão fácil assim utilizar a conta por outro smartphone, pois é necessário alguns dados bancários, bem como a senha que dá acesso ao aplicativo.

Duas pessoas com o celular na mão
Não é assim tão fácil de entrar indevidamente no aplicativo do Banco do Brasil, uma vez que é necessário certas autenticações de segurança.
Essa é uma tecnologia bastante comum e simples, mas que certamente aumenta significativamente a segurança que o correntista deposita na instituição. É preciso ter o número da agência, número da conta e a senha de 8 (oito) dígitos para login de acesso. O fato de possuir uma senha com oito caracteres é justamente para dificultar qualquer tentativa de acesso, uma vez que quanto maior a senha, maior o número de combinações e, consequentemente, maior é o trabalho para descobrir.

Cartão virtual

Voltando a falar sobre cartão de crédito, uma outra aplicação que merece destaque e que garante maior segurança e confiabilidade é o cartão virtual. Essa já é uma opção que tem sido muito utilizada pelos bancos, em especial os bancos digitais, afinal de contas, garante mais agilidade, segurança e praticidade para realizar compras pela internet e em qualquer aplicativo.

No entanto, vale destacar que apenas pessoas que possuem o cartão Ourocard é que podem aderir o cartão virtual, também chamado de Ourocard-e. Através dele você consegue fazer compras online e pagar assinaturas mensais, como plataforma de streaming de vídeo ou música, por exemplo. As vantagens relacionadas ao cartão virtual é que é você quem escolhe limite, data de validade, número de transações e se ele será internacional.

Cartão de credito encima de um notebook
O cartão virtual garante que os seus dados não serão rastreados, uma vez que há um cartão exclusivo para cada compra feita remotamente.
Ademais, por ser um cartão virtual, acaba que você protege o seu cartão físico, o principal. Isso acontece porque o Ourocard-e possui uma numeração e código de segurança próprio, e não compartilhados. E caso você ache que esse cartão está sendo usado indevidamente para fins desconhecidos, é possível desativar o Ourocard-e sem ser necessário cancelar o seu cartão físico.

O cartão virtual pode ser gerado a qualquer momento e sem nenhum custo adicional por isso, independente de quantos você queira emitir. Por isso, o recomendado é que você gere um Ourcard-e novo toda vez que for fazer qualquer compra via internet. Isso irá lhe assegurar ainda mais de que todos os seus dados serão preservados. Portanto, mesmo sendo uma ferramenta simples de ser utilizada, ela é bastante funcional e garante confiabilidade ao titular.