Por que as fintechs de previdência privada são uma promessa para o setor de investimento?

Entenda os fatores que tornam as fintechs de previdência privada ótimas opções de investimento e saiba como aplicar nelas!

Setor de investimento

Durante o período de pandemia causado pela Covid-19, a economia mundial se viu abalada e muitos setores foram prejudicados, inclusive com queda nas ações. Aqui no Brasil, o cenário que já não era muito promissor, acabou piorando, com o aumento do desemprego e do endividamento da população.

Assim, principalmente após a aprovação da Reforma da Previdência em 2019, muitos brasileiros voltaram os seus olhos para outras alternativas de garantir a aposentadoria, enxergando a previdência empresarial como uma boa opção de investimento.

Apesar da crise generalizada no cenário econômico, tempos difíceis são propícios para o surgimento de novas ideias e, principalmente, boas soluções.

Nesse sentido, as fintechs de previdência privada - também chamadas de prevtechs - têm ganhado espaço no mercado de investimentos justamente por apresentar saídas para o panorama atual e oferecer alternativas de investimentos seguros e lucrativos para os brasileiros.

Da mesmo forma que outras fintechs, as prevtechs crescem justamente por oferecer um serviço que foi negligenciado por companhias maiores ou mais tradicionais. Ou seja, essas empresas acabam crescendo por atenderem lacunas específicas do mercado.

Com o objetivo de compreender melhor o lugar atual das fintechs aqui no Brasil e tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto, preparamos esse material.

Confira a seguir tudo sobre as fintechs de previdência privada e descubra porque elas são o futuro dos investimentos.
 

Fintechs e prevtechs: qual a diferença?


Antes de mais nada é necessário explicar sobre o que estamos falando. Muitas pessoas podem se confundir com a nomenclatura mais específica desse setor da economia e acabam não entendendo conceitos importantes.

As fintechs basicamente são startups exclusivas do mercado financeiro. O termo - que é uma junção das palavras em inglês para finanças e tecnologia - explicita bem o cenário de atuação das novas empresas.

Já as prevtechs são um braço das fintechs totalmente voltado para a área de previdência complementar. Dessa forma, as prevtechs são fintechs que seguiram um segmento exclusivo.

Segundo Renan Schaefer, diretor da ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs), o conceito de prevtech, apesar de novo, já é bastante utilizado no mercado, visto que muitas fintechs abarcam a previdência privada complementar em suas ações.
 

Cenário favorável para as fintechs?


Como dissemos, o Brasil enfrenta uma crise econômica que vem se agravando desde 2019. Apesar de não ser o melhor cenário, existem pontos que impulsionam o crescimento das fintechs nesse momento específico.

Em uma reportagem publicada pela Folha de São Paulo, o presidente da Onze, Antonio Rocha, explica um pouco mais sobre como o cenário é favorável para o desenvolvimento das prevtechs.

Segundo ele, além do maior foco no setor digital estimulado pelo momento atual, a crescente preocupação dos brasileiros com uma reserva de capital também contribui para o surgimento de iniciativas focadas no setor.

De acordo com Rocha: "Esse é um ciclo relativamente novo, mas que tem um foco importante tanto na gestão do capital como na disseminação da educação financeira e do conceito de previdência privada. Além disso, a pegada é trazer taxas menores e melhores fundos de previdência para o mercado."

Dessa forma, é possível perceber que as prevtechs são uma ótima promessa para o setor de investimentos, visto que estão oferecendo soluções totalmente voltadas para o momento atual. Sua intenção é justamente preencher lacunas deixadas em aberto por empresas tradicionais do setor.
 

Auxílio da tecnologia para o crescimento das fintechs


Segundo Luís Ricardo Martins, presidente da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), o cenário atual, principalmente de 2020 para cá, se tornou solo fértil para o crescimento das fintechs voltadas à previdência privada.

Ainda que a reinvenção do setor para um âmbito mais tecnológico demande grandes investimentos e um planejamento sério e detalhado, é uma movimentação que já se iniciou, apresentando uma tendência de apenas se intensificar daqui para frente. O estímulo principal é a demanda populacional por esse tipo de serviço.

Já é notável o desejo de realizar um planejamento financeiro futuro por boa parte da população.

O que os brasileiros mais prezam nesse momento são: taxas menores, consultores de estratégia de investimentos de previdência e um plano que se adeque à sua realidade. Observando essa demanda, as prevtechs como a Onze, encontraram no mercado atual uma boa oportunidade de atuação.
 

Oferta de taxas mais acessíveis


Diante da crise econômica e da necessidade de fazer uma reserva financeira para o futuro, as prevtechs surgiram com a solução ideal.

Mesmo que a discussão sobre a implementação de taxas mais acessíveis, principalmente para a previdência privada, não seja de hoje, a Onze e outras fintechs chegaram ao mercado com ofertas mais atraentes que as disponibilizadas por empresas tradicionais.

Por conta dessa movimentação trazida pela entrada das prevtechs no mercado, atualmente já é difícil encontrar companhias que impõem taxas de carregamento, por exemplo. Entretanto, as melhores condições para poupar e investir ainda são encontradas em fintechs de previdência privada.

A partir do exemplo da Onze, podemos observar que, por conta do porte e da estrutura da prevtech, é possível oferecer melhores condições aos clientes, sem cobrar a mais por tempo de mercado ou outras taxas desnecessárias.

Assim, as fintechs de previdência privada vão ganhando cada vez mais espaço no mercado e se consolidam como uma ótima opção para os brasileiros que têm interesse em realizar uma reserva financeira para o futuro.
Postagem Anterior Próxima Postagem