Home office: quais cuidados à saúde devem ser levados em conta na hora de trabalhar

O home office se mostrou rentável e produtivo, mas exige cuidados para evitar o adoecimento de profissionais 

A possibilidade de trabalhar de casa se tornou realidade para milhões de brasileiros após o surgimento da pandemia da Covid-19. Pesquisadores estimam que 11% da população ocupada exerceu suas atividades no home office, entre maio e novembro de 2020. 

Esse estudo foi realizado com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Dessa forma, contrariando expectativas negativas, o home office se mostrou vantajoso para quem empreende e também para quem é empregado. 

Adesão ao home office

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou que, ao final do primeiro ano da pandemia, o home office apresentou percentuais de contribuição semelhantes aos dos trabalhadores do setor público e da indústria. 

Por ser uma modalidade eficiente, se expandiu o número de empresas que aderiram ao modelo remoto ou modelo híbrido. A 18ª edição do Índice de Confiança Robert Half defendeu que a tendência para 2022 era de 48% das empresas apostarem no hibridismo. 

Diante da nova cultura produtiva, os profissionais que trabalham em home office precisam se proteger contra adoecimentos laborais, sejam esses dores e lesões na coluna ou até mesmo adoecimentos relacionados à saúde mental.

Circunstâncias de trabalho no home office

Atividade remota não combina com escritório improvisado. Isso porque a falta de organização pode comprometer a saúde do profissional e a qualidade do serviço. Por isso, o ambiente deve ser bem pensado para preservar o bem-estar do trabalhador.

A Fundação Getúlio Vargas realizou uma pesquisa, em que a maioria dos trabalhadores relatou distúrbios, sendo 56% relacionados a dores nas costas e 54,8% a problemas com sono.

Parte desses sintomas se relaciona com a ausência de equipamentos adequados e uma rotina saudável. A Medida Provisória 1.108/22, surgiu para regulamentar o trabalho remoto no Brasil, e dispõe do custeio de serviços de infraestrutura e regime de comodato. 

Ou seja, o empregado agora pode exercer o home office com dispositivos adequados, seja um tablet, um notebook Ryzen 5 ou outro dispositivo eletrônico. É apenas importante que tais dispositivos sejam de qualidade, para que se evite estresses.

Saúde mental

Apesar do trabalho ser feito em casa, esse não pode ser o único propósito do ambiente familiar. Por essa razão, é indispensável que o trabalhador crie uma rotina que funcione dentro do horário comercial, sem colidir com os afazeres domésticos, de descanso e lazer. 

Com isso, conseguirá diminuir os sintomas mentais e emocionais relacionados ao ambiente profissional. Realizar pausas de tela e luz branca a cada 20 minutos é um bom exemplo de conduta que contribui para evitar a fadiga e ainda danos à visão. 

Estilo de vida 

Independentemente da modalidade do serviço, manter um estilo de vida que equilibre boa alimentação, atividade física e lazer é fundamental para um trabalhador produtivo e saudável.

No home office, como não existe o deslocamento e encontro com outras pessoas no trajeto ou no escritório para confraternizar, o recomendado é que se abra espaços para momentos de autocuidado. 

Uma caminhada no parque, por exemplo, concentra importantes funções em uma única atividade: exercício físico, contato com a natureza e com outros indivíduos. Mas também vale a pena reunir amigos em um happy hour. 

Tudo isso é essencial para manter uma rotina que beneficie os âmbitos profissional, mental, emocional, físico e social em harmonia. Se tudo isso não está em dia, é impossível desenvolver um bom trabalho e ser de fato produtivo dentro da empresa.

Para que a produtividade seja alcançada, bem como a perspectiva de uma vida saudável, o trabalhador e seu empregador devem considerar os pontos que podem tornar o home office um bom e adequado ambiente de trabalho.

Último post: O que é Anti RP? Definição, usos e muito mais

Home office